24 de fevereiro de 2011

Relato de uma viagem


Só quem anda de transportes públicos é que sabe o quão pode ser divertido, ou um autêntico martírio.

Ontem, foi um daqueles dias que desejei ter um teletransporte que me fizesse chegar a casa em 5 segundos.

Entrei. Sentei-me no autocarro. (até aqui tudo perfeito)
Na próxima paragem entraram diversas pessoas. (nada a assinalar)
Um homem senta-se ao meu lado (so far so good)

Um minuto passou. O drama começou.

O dito Senhor lembrou-se de suspirar. Com o suspiro, veio o cheiro. O cheiro de quem tem na pele, no corpo, no interior, todo um organismo em decomposição. Pulmões negros. Pele envelhecida. Unhas feias. Anos e anos de tabaco.

Passei os 20 minutos que restavam da viagem a tentar não cheirar, não respirar, não olhar.

Na altura de sair, respirei fundo e abençoei o ar puro.

Para bem do Senhor, espero que tenha a coragem de deixar de fumar
. Só lhe fazia bem.

4 comentários:

Lux disse...

Como eu te compreendo...
Eu própria, que fumo, odeio o cheiro de tabaco.
Deixar de fumar? Sim, mas neste momento não posso. Assim que estiver recuperada destas crises de ansiedade e depressão é o que vou fazer... Mas a minha médica diz que não antes do Verão...

xoxo
Lux

Ana disse...

Querida Lux,

Espero que consigas deixar de fumar :) Beijinho grande

Katia disse...

acredito =/
bjs*

Merenwen disse...

Sei o que isso é, há uns tempos fiz uma viagem de autocarro de 3h30 ao lado de um rapaz que tinha esse cheiro de que falas. Na altura até contei o episódio no blogue, porque quando me sentei do lado no autocarro até fiquei feliz porque o rapaz era muito giro. Mas assim que respirou...é horrível